Voltar
Otite Externa

30/08/2016

Otite externa

Anatomia da orelha dos cães e gatos

Otite externa é a inflamação da porção externa do conduto auditivo do cão e do gato, que é dividido em interno, médio e externo. A pele que recobre a parte interna do ouvido é parecida com a pele que recobre todo o corpo do animal, podendo estar sujeita as mesmas doenças, e justamente por isso na Medicina Veterinária a área que cuida das otites é a Dermatologia.  

Aspecto de um ouvido saudável 

Existem várias causas que podem levar ao aparecimento de tal inflamação, bem como fatores predisponentes que aumentam o risco de desenvolvimento da otite e perpetuantes que mantem o problema no local.

Causas Primárias

  • Parasitária: Otodectes cynotis, Demodex canis, Sarcoptes scabiei e Notoedres cynotis. 
  • Alérgica: atopia, alergia alimentar, dermatite de contato alérgica, reação a drogas
  • Distúrbios de queratinização: seborréia primária, hipotireoidismo
  • Corpos estranhos: plantas, pêlos, sujeira, medicações e secreções endurecidas
  • Anatomica:  conformação da orelha (pendente) presençca de pêlos internos

Otodectes cynotis - ácaro causador da sarna otodécica

Otite Alérgica 

Fatores predisponentes

  • Conformação anatômica: pelos nos condutos, orelhas pendulares, condutos estenosados
  • Umidade excessiva: orelha de nadador, umidade pós banho
  • Produção excessiva de cerumen:  secundário a outras doenças ou primário
  • Outras: tumores, doença sistêmica (que leve a imunossupressão)

Fatores Perpetuantes

  • Bactérias
  • Fungos
  • Modificações patológica: edema, dobras epiteliais, fibrose etc

Otite purulenta (pús)

De acordo com a causa do problema e fatores envolvidos, determinará o tipo de exame a ser realizado bem como tratamento.

Para causas parasitárias, uma análise microscópica do cerumen pode identificar presença dos ácaros, ou mesmo um raspado caso a lesão esteja contida na pele também. Nas otites bacterianas e fúngicas pode ser necessário realização de citologia de cerúmen e cultura. Em outras causas uma boa inspeção clínica com otoscópio já pode fechar um diagnóstico.

O tratamento pode envolver diversas etapas, a limpeza é a primeira delas, e pode ser desde uma simples limpeza ambulatorial com remoção de conteúdo, ou uma limpeza profunda com o animal anestesiado. Atualmente existe no mercado inúmeros agentes de limpeza de ouvido, mas vale lembra que existem diferenças entre eles! Uns são ácidos, ouros fisiológicos e outros com função ceruminolítica (amolecer e remover o excesso de cerúmen) e somente após determinadas a causa de base e condição da orelha que se escolhe qual melhor produto.

Reação medicamentosa a agente de limpeza de ouvido

Já com relação aos medicamentos, de acordo com a causa pode variar de aplicação de produtos tópicos, medicação sistêmica e/ou associação dos dois, contendo anti-inflamatório, analgésicos, antibióticos, antifúngicos e/ou corticoide. Alguns animais sentem tanta dor no ouvido inflamado que necessitam de controle de dor sistêmico pra permitirem a manipulação correta da orelha. Além disso, a rotina de limpeza diária e aplicação correta da medicação de acordo com o prescrito, são fatores essenciais para uma boa evolução do quadro.  Existe técnica correta de medicar o ouvido e o veterinário deverá instruir o dono do paciente qual a maneira correta, sendo que cotonetes jamais devem ser utilizados na limpeza doméstica.

Devido a variedade de causas, fatores predisponentes e perpetuantes, um animal com suspeita de otite deve sempre ser examinado por um veterinário, com ajuda de otoscópio, e jamais medicado por conta própria, visto que uma simples otite externa não tratada corretamente pode  causar mudanças crônicas irreversíveis no canal auditivo, como diminuição do diâmetro do canal o que dificultará limpeza e ventilação do local ou causar alterações irreversíveis de calcificação de conduto ou estenose, que culminam com cirúrgica de ablação (remoção) total de conduto. Além disso ela pode evoluir pra uma otite interna causando alterações neurológicas podendo comprometer permanentemente a audição do animal.

Reavaliações médicas também são parte vital do tratamento bem sucedido. A orelha do seu animal pode parecer normal para você, mas pode precisar de medicação contínua e de limpeza para a completa resolução da inflamação ou infecção. Algumas raças com problemas primários podem precisar de tratamento-controle, para toda a vida.

 

Maricy Alexandrino - Médica  Veterinária

 

Este é um trabalho original do autor, e é protegido pela Lei dos Direitos Autorais. Qualquer uso ou reprodução desse texto, depende de prévia e expressa autorização do autor.

 

 

Avenida Carlos Gomes, nª 243

Zona 05, Maringá-Pr

Cep: 87015-200

Telefone: (44) 3225-7209

Horários de atendimento:

Segunda a sexta: das 09:00 ás 12:00 e das 14:00 as 18:00

Sábado: das 09:00 ás 12:00

* Para seu maior conforto damos prioridade ao atendimento com hora marcada, priorizando o seu tempo, e diminuindo o stress de seu animal pelo pouco tempo em sala de espera (exceto emergências)