Voltar
Férias, festas e viagens: cuidados especiais

14/12/2016

Férias e festas, diversão sem complicação!

Final de ano chegando, festas comemorativas, férias, viagens, vários assuntos a serem pensados, entre eles a saúde e bem estar do seu animal se estimação.

Se você inclui seu cão ou gato nas comemorações e viagens, deve-se ter um cuidado redobrado, pois os atrativos são muitos e alguns pode gerar problemas, por exemplo:

  • para quem  montou árvore de natal em casa, mantenha os enfeites a uma certa altura do chão, onde o animal não alcance, evitando com isso ingestão de corpo estranho. Maior atenção se tiver luzes “pisca-pisca”  na árvore, essas luzes atraem a atenção do animal, mas pode causar problemas sérios como choque elétrico;
  • durante as ceias, almoços comemorativos e presença de pessoas estranhas em casa, todo cuidado é pouco! Não ofereça e nem deixem que ofereçam, ao seu animal comidas temperadas, ossos de aves, carne suína, doces ou bebidas.  Se seu animal recebe alimentação diferenciada, como rações terapêuticas (hipoalergênica, renal, urinária entre outras), é preferível deixá-lo em algum cômodo separado, onde não tenha acesso a comida “estranha”, pois caso contrário, um quadro clínico que vinha estabilizado com a dieta pode se comprometer devido a um simples petisco oferecido ao seu animal.

Pra quem vai viajar e levar seu companheiro junto, este deve estar com as vacinas regularizadas, preferencialmente até 30 dias antes da viagem. Para os cães: vacina óctupla e anti-rábica, para os gatos: vacina tríplice ou quadrupla e anti-rábica. Além disso, deverá levar consigo um atestado de sanidade, emitido pelo Médico Veterinário, no máximo 10 dias antes da viagem.

  • Se o destino é a praia ou rio, o animal deve receber medicação repelente contra mosquitos transmissores da Dirofilariose,  ou preventivo (vial oral ou pipetas)  prescritas pelo veterinário;

  • Procure se informar com o veterinário responsável, com relação a áreas endêmicas para determinadas doenças, principalmente  Leishmaniose. Para que assim, cuidados preventivos possam ser tomados caso a região que você pretende ir, esteja acometida;
  • Alguns animais ficam muito agitados ou vomitam em passeios de carro. Existem medicações que podem ser prescritas pelo Veterinário, para prevenir essas situações.

Já para as pessoas que não tem como levar seu cão ou gato na viagem, uma boa opção são os hotéis para animais:

  • antes de escolher onde hospedar seu cão ou gato, visite o local, pergunte como é a rotina, limpeza e tratamento dado ao hospede;
  • dê preferência ao locais que só aceitem animais vacinados, vermífugados e devidamente livres de ectoparasitas (pulgas e carrapatos). Locais onde os animais fiquem em baias individuais com espaço suficiente para movimentação, que seja bem arejado e iluminado;
  • caso o local não receba luz solar direta, pergunte quanto a passeios e banhos de sol.
  • Mantenha a alimentação que seu animal vem recebendo, para evitar transtornos gastro intestinais;
  • Se o animal é acostumado dormir em caminhas ou cobertores, você pode leva-los ao hotel, bem como roupinhas caso o cão seja idoso ou o local muito frio;
  • Deixe o telefones de contato disponíveis, bem como o nome e telefone do veterinário que deverá ser contatado caso necessário;
  • E não esqueça de avisar se o animal precisa de cuidados diferenciados (xampús medicamentosos, algum tipo de medicação ou dieta)

Caso opte por deixar o cachorro ou gato em casa, mas sob cuidados de outras pessoas (parentes, vizinhos), procure manter a rotina diária do seu animal, bem como tipo e horários de alimentação:

  • no caso dos gatos deve-se instruir o responsável, a  manter sempre limpa a caixinha de areia, e comida disponível durante todo o dia. De preferência oferecer pequenas porções várias vezes ao dia, para evitar que o alimento perca o cheiro e fique exposto a insetos e roedores;
  • Alguns animais que ficam dentro de casa e são  apegados as pessoas, podem sentir falta de seus donos, ficarem tristes e deprimidos. Para amenizar isso,  deixe uma camiseta  usada (pela pessoa que o animal for mais apegado), no local onde ele for  comer e dormir;
  • Para os cães, principalmente os de grande porte que fazem guarda, é essencial que seja fornecido duas refeições ao dia, devido ao risco de torção gástrica. Caso não seja possível, existe alimentadores automáticos, que podem ser programados para servir tanto a ração quanto a água nos horários desejados;
  • Lembre-se também, de deixar disponível telefones de contato em caso de emergência! E jamais permita que alguém medique seu animal, sem antes passar por uma consulta com o veterinário.

Levando em conta estes pequenos detalhes,  pode-se evitar grandes problemas!

Maricy Alexandrino – Médica Veterinária

 

Este texto é um trabalho original do Autor e é protegido pela Lei de Direitos Autorais. Qualquer uso ou reprodução deste texto depende de prévia e expressa autorização.

 

Avenida Carlos Gomes, nª 243

Zona 05, Maringá-Pr

Cep: 87015-200

Telefone: (44) 3225-7209

Horários de atendimento:

Segunda a sexta: das 09:00 ás 12:00 e das 14:00 as 18:00

Sábado: das 09:00 ás 12:00

* Para seu maior conforto damos prioridade ao atendimento com hora marcada, priorizando o seu tempo, e diminuindo o stress de seu animal pelo pouco tempo em sala de espera (exceto emergências)