Voltar
Sarna Demodécica Canina - Dúvidas Frequentes

27/02/2016

Sarna Demodécica Canina – Dúvidas Frequentes

 

O QUE É?

A sarna demodécica ou demodiciose (popularmente conhecida como sarna negra), é uma doença dermatológica causada principalmente pelo ácaro Demodex canis, que pode acometer cães jovens ou adultos nas suas formas localizada ou generalizada.

 

 

Quadros clínicos distintos de cães com sarna demodécica 

 

COMO O CÃO SE TORNA DOENTE?

A forma de transmissão da sarna demodécica é um tema que gera dúvidas e discussões, principalmente entre cinófilos (criadores de cães). Até o momento o que é mais aceito é que existe uma predisposição genética ESPECÍFICA no indivíduo, que permite a manifestação da sarna demodécica, e que esta PREDISPOSIÇÃO genética tende a ser hereditária.

De forma resumida, o ácaro Demodex canis em pequena quantidade, faz parte da biota normal da pele de todos os cães e habita nela de forma comensal, sem danos. Nos indivíduos PREDISPOSTOS, que neste caso possuem uma deficiência imunológica específica ao ácaro, há um crescimento exagerado da população de demodex na pele, levando ao aparecimento da doença e seus sinais clínicos. Portanto não é uma doença que o cão adquire por contato direto.

 

COMO DIAGNOSTICA?

O diagnóstico é feito pela visualização do ácaro ao microscópio, com coleta de material podendo ser feita por raspado de pele, fita de acetato ou biópsia (principalmente nos casos mais crônicos).

Demodex canis - ácaro causador da sarna demodécica visto ao microscópio (exame de raspado cutâneo)

 

TEM CURA?

Devido a origem da doença, não se fala em cura, mas sim em controle que é possível com tratamento e acompanhamento frequente pelo médico veterinário. O tratamento em geral é longo, entre 1-3 meses (podendo chegar aos 6 meses), até a alta clínica que só ocorre após 3 exames negativos em sequência. São incomuns, mas pode acontecer, de cães refratários aos tratamentos disponíveis.

 

CASTRAR OU NÃO CASTRAR UM CÃO COM SARNA DEMODÉCICA?

A cirurgia de castração por si só, não muda o curso da doença, exceto em fêmeas que recidivam durante período do cio. A castração está mais relacionada a indicação de não reproduzir cães sabidamente doentes. Até que se comprove todo o mecanismo da origem da doença, uma vez existindo a tendência genética hereditária, a forma de reduzir o número de animais afetados é não reproduzindo os doentes. Tendo feito o diagnóstico tardio de algum cão e este já tendo prole, também fica contra indicado a reprodução dos filhos de cães sabidamente afetados pela sarna demodécica.

 

O HÁ DE NOVIDADE?

Com relação a origem da doença, estudos genéticos e imunológicos na busca do exato “local” de deficiência imunológica. Com relação ao tratamento, estudos recentes comprobatórios da eficácia de uma medicação oral de uso trimestral.

 

 Maricy Alexandrino - Médica Veterinária

 

Este texto é um trabalho original do Autor e é protegido pela Lei de Direitos Autorais. Qualquer uso ou reprodução deste texto depende de prévia e expressa autorização.

 

Avenida Carlos Gomes, nª 243

Zona 05, Maringá-Pr

Cep: 87015-200

Telefone: (44) 3225-7209

Horários de atendimento:

Segunda a sexta: das 09:00 ás 12:00 e das 14:00 as 18:00

Sábado: das 09:00 ás 12:00

* Para seu maior conforto damos prioridade ao atendimento com hora marcada, priorizando o seu tempo, e diminuindo o stress de seu animal pelo pouco tempo em sala de espera (exceto emergências)