Voltar
Doenças dermatológicas comuns em Bulldogs (Francês e Inglês)

16/02/2016

     Doenças dermatológicas comuns em Bulldogs (Francês e Inglês)

        Existem doenças dermatológicas mais comuns em determinadas raças do que em outras, a principal causa disso são alterações genéticas e/ou doenças hereditárias, que acabam sendo repassadas e perpetuadas na raça. Os Bulldogs em específico também tem alterações anatômicas características da raça, que  favorecem algumas dermatopatias. Segue as doenças mais comumente atendidas na rotina clínica de cães destas raças:

 

Atopia (Dermatite atópica)

Doença alérgica, genética hereditária causada por alterações do sistema imunológico, que reage de forma “exagerada” a substâncias principalmente ambientais (ácaro da poeira doméstica, pólen, plantas (gramíneas), perfumes, fumaça entre outros), podendo ser piorada por outras alergias como alergia alimentar ou a picada de ectoparasitas. A principal manifestação clínica é a coceira intensa que pode afetar o corpo todo em especial orelhas (com otites recidivantes), entre os dedos, região genital e inguinal, axila e flancos. Não há cura, porém há controle que depende da associação de diversos tratamentos, alguns vitalícios: tópico (xampus, cremes, sprays), medicamentoso (via oral ou injetável) e imunoterapia (vacina).

Demodiciose

Popularmente conhecida como sarna demodécica ou sarna negra, causada por um defeito imunológico específico, hereditário, que faz com que o organismo deixe de produz ou produza muito pouco, células de defesa específicas para combater o Demodex canis. Este ácaro faz parte da biota normal da pele dos cães, porém nos animais susceptíveis (ou seja os que possuem a alteração genética) os ácaros se reproduzem em excesso, levando a doença clínica, que se manifesta por perda de pelos em áreas localizadas ou generalizadas, inflamação da pele, podendo ou não apresentar coceira leve ou moderada (caso haja infecção bacteriana secundária). O tratamento permite a cura/alta clínica, porém há casos que recidivam ao longo da vida, tendo o animal que ser monitorado com frequência.  Atualmente há diversas opções de tratamento, via oral, injetável ou tópico, que deverá ser escolhido pelo veterinário de acordo com cada caso.

Dermatite das pregas cutâneas (Intertrigo)

Os Bulldogs apresentam em sua anatomia normal, pregas faciais/nasais, caudais, vulvares e as vezes em extremidade de membros (mãozinhas). Estes pregas causam atrito da pele, deixando o local inflamado, que pode produzir substâncias que deixam o meio úmido, predispondo a infecções fúngicas (malassezia) e bacterianas.  Por se tratar de uma doença de causa anatômica, o tratamento e cuidados devem ser diários, através de limpeza com soluções especificas de acordo com a região, bem como tratamento das infecções secundárias quando presentes (tópico ou sistêmico). Nos casos mais graves é possível cirurgia para remoção/diminuição da prega anatômica. 

 

Furunculose interdigital

Doença de origem bacteriana que leva a formação de nódulos inflamados, ou tratos drenantes (fístulas) na região de interdígito (entre os dedinhos, das mãos ou pés).  Pode ser primária (sem causa de base) ou secundária (principalmente a atopia). Tende a ser um problema crônico, de tratamento prolongado com antibióticos sistêmicos.                                                                                  

Malasseziose

 A Malassezia pachidermatis  é uma levedura (fungo) que faz parte da biota normal da pele de todos os cães. Em número controlado não causa maiores problemas. Esta levedura habita áreas quentes e úmidas do corpo como dentro da orelha, no vão dos dedos, área genital, axila e virilha e no caso dos Bulldogs, todas as pregas anatômicas. Quando alguma condição dermatológica de base altera o meio, permite que esta levedura se reproduza em excesso levando a doença clínica, portando é sempre uma doença secundária. Os sinais clínicos incluem: otite de repetição (com produção intensa de cerumem), coceira intensa nas áreas afetadas, odor forte/rançoso na pele, escurecimento (avermelhado ou enegrecido) da pele das áreas afetadas. O tratamento inclui identificar e tratar a causa de base, uso de xampus, cremes ou loções e se um quadro muito avançado uso de medicação sistêmica.

Piodermite e foliculite bacterianas

São causadas por bactéria da própria pele, que se reproduz em excesso secundário a causas de base (principalmente causas alérgicas) ou de forma primária (idiopática, sem causa de base por alteração imunológica). A piodermite se limita a pele principalmente de áreas sem pelo como região ventral, e se manifesta por pápulas ou pústulas que se rompem levando a descamação local, já a foliculite afeta a base dos folículos pilosos, levando a perdas focais de “tufos” de pelo, podendo afetar todo  o corpo do cão. Ambas podem causar coceira moderada a intensa no cão afetado.  O tratamento varia de acordo com a causa de base e gravidade do quadro, pode incluir banhos com xampus medicamentosos, sprays e antibióticos sistêmicos.

É importante conhecer as doenças mais comuns da raça que você escolheu pois muitas delas precisam de cuidados preventivos ou tratamentos  para o resto da vida, bem como buscar orientações adequadas para manter a saúde do seu animal de estimação.  A escolha de profissionais que estejam familiarizados com doenças crônicas de pele e suas consequências, faz toda a diferença a longo prazo.

A Dermatologia Veterinária é a área da Clínica de Pequenos Animais que lida com problemas de pele, pelos, ouvidos e unhas  dos cães e gatos,  e uma consulta dermatológica é um pouco diferente de uma consulta de rotina. Uma das partes mais importantes da avaliação dermatológica, é conhecer o paciente e tudo que envolve sua rotina e o que ele vem apresentando atualmente ou ao longo de meses, anos. Essa coleta de dados pode ser a parte mais demorada de uma consulta dermatológica que pode chegar a 60-90 minutos no total.  Toda a história do paciente, envolvendo ou não a pele, é de extrema importância pois alguns quadros sistêmicos como vômito e diarreia por exemplo, podem estar correlacionados aos quadros cutâneos como por exemplo nos pacientes que apresentam alergia alimentar.

 

                        Maricy Alexandrino  - Médica Veterinária

Este texto é um trabalho original do Autor e é protegido pela Lei de Direitos Autorais. Qualquer uso ou reprodução deste texto depende de prévia e expressa autorização.

 

 

 

Avenida Carlos Gomes, nª 243

Zona 05, Maringá-Pr

Cep: 87015-200

Telefone: (44) 3225-7209

Horários de atendimento:

Segunda a sexta: das 09:00 ás 12:00 e das 14:00 as 18:00

Sábado: das 09:00 ás 12:00

* Para seu maior conforto damos prioridade ao atendimento com hora marcada, priorizando o seu tempo, e diminuindo o stress de seu animal pelo pouco tempo em sala de espera (exceto emergências)